CRIME CONTRA O PATRIMÔNIO NA REGIÃO METROPOLITANA DE BELO HORIZONTE

Uma análise econômico espacial

  • Marco Antônio S Almeida
  • André Luiz Silveira Lopardi
Palavras-chave: ECONOMETRIA ESPACIAL, AEDE,, ECONOMIA DO CRIME, CRIME CONTRA O PATRIMÔNIO.

Resumo

Este trabalho buscou esclarecer a dinâmica da criminalidade na Região Metropolitana de Belo Horizonte e seus municípios vizinhos mais próximos para o ano de 2001. Utilizou-se, para isso, a Análise Exploratória de Dados Espacial e a Econometria Espacial. Foram tomados os respectivos municípios como unidades espaciais. Baseado na abordagem da escolha racional buscou-se verificar se os crimes decorreram de situações específicas da atividade sociais, econômicas e demográficas. Com o subsídio da ferramenta da autocorrelação espacial (I de Moran), procurou-se verificar a presença deste fenômeno para os índices de crime contra o patrimônio. Procurou-se, por outro lado, identificar a presença cluster mapeando a criminalidade. Por meio dos resultados, verificou-se a presença de associação espacial do crime nos municípios da região metropolitana de Belo Horizonte e seus vizinhos. O modelo com Lag Espacial em logaritmo revelou-se o mais indicado, revelando os principais determinantes do crime contra o patrimônio nesta região.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Marco Antônio S Almeida

Doutorando em Economia pela UFF, mestre pela Unesp, economista da UFJF e professor do Instituto Vianna
Jr.

André Luiz Silveira Lopardi

Pós Graduado em Finanças pelo Ibmec, economista pelo Instituto Vianna Jr e economista do Banco do
Brasil.

Publicado
2017-09-18
Como Citar
Almeida, M. A. S., & Lopardi, A. L. S. (2017). CRIME CONTRA O PATRIMÔNIO NA REGIÃO METROPOLITANA DE BELO HORIZONTE: Uma análise econômico espacial. Revista Vianna Sapiens, 1(2), 30. Recuperado de https://viannasapiens.com.br/revista/article/view/27