A MEDIAÇÃO COMO UM MEIO PARA A RESOLUÇÃO DOS CONFLITOS E O PAPEL DO ADVOGADO

Palavras-chave: Mediação, Advogado mediador, Tribunal multiportas

Resumo

O presente trabalho tem como objetivo a apresentação da mediação como um meio adequado nas soluções de conflitos, bem como a imprescindibilidade de melhor preparação dos advogados para o fomento e efetivação da mediação. Dessa maneira, foi realizada vasta pesquisa doutrinária e documental para a averiguação da gênese deste meio adequado de resolução de conflitos, além da análise da importância do bom desempenho do advogado para o sucesso deste método, sendo apresentadas diversas técnicas de mediação existentes, visando a evidenciar que em cada caso deverá ser analisado a melhor forma de pacificação. Assim, com este artigo espera-se demonstrar que a mediação é uma forma de pacificação social, que foi incorporada no Brasil tardiamente, necessitando, portanto, de incentivo dos advogados e membros do poder judiciário para sua promoção. No mais, pretende-se atentar para a necessária mudança de paradigma na atuação jurídica atual, com vista à promoção da justiça de maneira célere e eficaz, utilizando, sempre que possível, a mediação para a solução de conflitos, devido aos seus inúmeros proventos.

Referências

ALMEIDA, Tania. Caixa de ferramentas em mediação: aportes práticos e teóricos. / Tania Almeida. Apresentações de André Gomma de Azevedo, Fátima Nancy Andrighi, Ada Pellegrine Grinover, Juan Carlos Vezzulla, Samantha Pelajo, Joyce Rososchansky Markovits, Valeria Ferioli Lagrsta Luchiari. São Paulo: Dash, 2014.
BRASIL. Constituição (1988). Constituição da República Federativa do Brasil.
BRASIL. Lei n° 13.105 de 16 de março de 2015. Código de Processo Civil.Congresso Nacional. Disponível em: . Acesso em: 23 fev. 2017.
BRASIL. Lei n° 13.140. Dispõe sobre a mediação entre particulares como meio de solução de controvérsias e sobre a autocomposição de conflitos no âmbito da administração pública; altera a Lei no 9.469, de 10 de julho de 1997, e o Decreto no 70.235, de 6 de março de 1972; e revoga o § 2o do art. 6o da Lei no 9.469, de 10 de julho de 1997. 2015. Disponível em: . Acesso em 27 fev. 2017.
Brasília: DF: Senado, 1988.
CAPPELLETTI, Mauro. Acesso à Justiça. Tradução de Ellen Gracie Northfleet. Porto Alegre: Fabris, 1988, p. 8.
CAPPELLETTI, Mauro. GARTH, Bryant. Acesso à justiça. Porto Alegre: Sérgio Antônio Fabris Editor, 2002.
CONSELHO FEDERAL DA ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL. Código de ética edisciplina da OAB. Brasília: 1995. Disponível em: . Acesso em: 27 fev. 2017.
CONSELHO NACIONAL DE JUSTIÇA. Resolução n° 125. Dispõe sobre a Política Judiciária Nacional de tratamento adequado dos conflitos de interesses no âmbito do Poder Judiciário e dá outras providências. 2010. Disponível em: . Acesso em: 27 fev. 2017.
FERREIRA, Lúcia da Costa. Teorias de Conflito. São Paulo, 2014. Disponível:. Acesso em 10.Fev.2017.
FOLLETT, Mary Parker. Mary Parker: profeta do gerenciamento. Tradução de Eliana Hiocheti e Maria Luiza de Abreu Lima. Rio de Janeiro: Qualitymark, 1997, p.298.
HALE, Durval; PINHO, Humberto Dalla Bernardina; CABRAL, Trícia Navarro Xavier. O marco legal da mediação no Brasil: comentários à lei nº 13.140, de 26 junho de 2015. São Paulo: Atlas, 2016.
JUNIOR, Asdrubal. O Advogado na Mediação e na Arbitragem. In: Âmbito Jurídico, Rio Grande, VII, n. 16, fev 2004. Disponível em: . Acesso em: 20 fev. 2017.
MAZZOLA, Marcelo. Impedimento de advogado deve se limitar à ação na qual ele é mediador. Revista Consultor Jurídico. 2015. Disponível em: . Acesso em: 23 fev. 2017.
MENDES, Gilmar Ferreira. Posse na Presidência do Supremo Tribunal Federal. Disponível em: http://www.stf.jus.br/arquivo/cms/noticianoticiastf/anexo/possegm.pdf. Acessado em 02/03/2017.
ORLANDO, Fabíola. Relevantes Contribuições do Advogado para a Mediação. In: Manual de Mediação de Conflitos para Advogados. Brasil: 2014. Tribunal Multiportas: investindo no capital social para maximizar o sistema de solução de conflitos no Brasil. Organizadores: Rafael Alves de Almeida, Tania Almeida, Mariana Hernandez Crespo. Rio de Janeiro: Editora FGV, 2012.
PINHO, Débora. Novo CPC cria restrição para advogados na mediação. Revista Consultor Jurídico. 2015. Disponível em: . Acesso em: 23 fev. 2017.
PINHO, Humberto Dalla Bernardina de. Mediação: a redescoberta de um velho aliado na solução de conflitos.
PINHO,humberto Dalla Bernardina de (Org.). Teoria geral da mediação à luz do projeto de Lei e do Direito Comparado. Rio de Janeiro: Lumen Juris, 2008.
RIBEIRO, Regina A.S.F. O advogado na Conciliação e na Mediação. São Paulo: ESA.2016. Disponível em: Acesso em 03.fev.2017.
ROVER, Tadeu. Atuar como conciliador e mediador gera impedimentos para advogados. Revista Consultor Jurídico. 2015. Disponível em: . Acesso em: 23 fev. 2017.
SALOMÃO,Luis Felipe. O marco regulatório para a mediação no Brasil. Em: . Acesso em: 04 março 2017.
SANTOS, Roberta Freitas Carvalho. Acesso à Justiça por meio da mediação de conflitos. Rio de Janeiro: EMERJ, 2012. Disponível: . Acesso em 02.Fev.2017.
SILVA, Carolina Marquez Castro; SCHABBEL, Corinna Margarete Charlotte. Vantagens do método circular - narrativo aplicado à mediação empresarial. Goiás, 2017. Disponível: Acesso em 15.Dez.2016.
TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE GOIAS. Teoria do Conflito. Goiana, 2015.Disponível:. Acesso em 10.Fev.2017.
WEBER, Lois J. Court-Referred ADR and the Lawyer-Mediator: In Service of Whom. SMU Law Review. V. 46. 1993. Disponível em: . Acesso em: 28 fev. 2017.
Publicado
2018-12-21
Como Citar
Oliveira, A., Pinheiro, I., Correa, N., Novaes, R., & Junqueira, T. (2018). A MEDIAÇÃO COMO UM MEIO PARA A RESOLUÇÃO DOS CONFLITOS E O PAPEL DO ADVOGADO. Revista Vianna Sapiens, 9(2), 23. https://doi.org/10.31994/rvs.v9i2.429