Conciliando maternidade e carreira profissional:

percepções de professoras do Ensino Superior

  • Michele Aparecida Silva Universidade Federal de Viçosa
  • Michele Morais Oliveira Pereira Universidade Federal de Viçosa
  • Luiz Guilherme Rodrigues Antunes Universidade Federal de Lavras
  • Francielih Dorneles Silva Universidade Federal de Uberlândia
  • Michelle Cristina Ferreira Castelari Universidade Federal de Viçosa
Palavras-chave: Maternidade, Trabalho Feminino, Professoras Universitárias

Resumo

Esta pesquisa teve como objetivo analisar as percepções de professoras do ensino superior de uma Universidade Federal do Estado de Minas Gerais que conciliam suas carreiras com a maternidade. A pesquisa foi realizada por intermédio de um grupo focal onde elas expuseram suas percepções sobre o tema. Logo, constatou-se que a maternidade é vista como um marco nas vidas das participantes e o trabalho como fonte de realização pessoal. Além disso, a conciliação, apesar de ser relatada como algo que acontece naturalmente, na prática é algo que traz sobrecarga em relação aos afazeres. Por fim, também se evidenciou que a combinação desses papéis, profissional e materno, precisam passar por ajustamentos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

AGUIAR, G. S; SIQUEIRA, M. V. S. Diversidade cultural no trabalho: os desafios em ser mulher em uma organização financeira. Encontro da Associação Nacional de Programas de Pós-Graduação em Administração–ENANPAD, Rio de Janeiro, 31, Anais... Rio de Janeiro: ANPAD, 2007.

APARÍCIO, I.; MELLO, K.; OLIVEIRA, M. V. Desenvolvimento de Carreira: O Papel da Mulher nas Organizações. Revista Cadernos de Administração, v. 2, p. 130-148, 2009.

BADINTER, E. Um Amor conquistado: o mito do amor materno. Elisabeth Badinter; tradução de Waltensir Dutra. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1985.

BANISKI, G. M. et al. Mulheres empreendedoras: desvelando estratégias e perfil de gestão. Revista Espacios, v. 37, n. 37, 2016.

BARBOSA, F. C. et al. Empreendedorismo Feminino e Estilo de Gestão Feminina: Estudo de Casos Múltiplos com Empreendedoras na Cidade de Aracaju – Sergipe. Revista de Micro e Pequenas Empresas, Campo Limpo Paulista, v.5, n.2, p.124-141. 2011.

BARBOSA, P. Z.; ROCHA-COUTINHO, M. L. Maternidade: novas possibilidades, antigas visões. Psicologia Clínica, Rio de Janeiro, v. 19, n. 1, p. 163-185, 2007.

BARDIN, L. Análise de Conteúdo. São Paulo: Edições 70, 2016.

BAUMAN, Z. A fragilidade dos laços humanos. CEP, v. 12031, p. 260, 2004.

BELTRAME, G. R; DONELLI, T. M. S. Maternidade e carreira: desafios frente à conciliação de papéis. Aletheia, n. 38-39, p. 206-217, 2012.

BESCHOREN, F. C. M. O conceito de maternidade e de adoção das mulheres inférteis. 2005. Monografia de Graduação em Psicologia apresentada a Faculdade da Educação e Saúde do Centro Universitário de Brasília, Brasília, 2005.

BRUSCHINI, C. O trabalho da mulher brasileira nas décadas recentes. Estudos feministas, p. 179-199, 1994.

COELHO, V. P. Trabalho e maternidade no cotidiano de professoras do ensino superior. 2001. Dissertação de Mestrado apresentado ao Programa de Estudos Pós-Graduados em Serviço Social, PUC/SP. São Paulo, 2001.

CORRÊA, D. P; AQUINO, G. B. Inserção da mulher de classe média no mercado de trabalho e sua conciliação com a maternidade sob a ótica de professoras do ensino superior. Revista Científica da Faminas, v. 11, n. 1, 2015.

COSTA, I. H; ANDROSIO, V. O. As transformações do papel da mulher na contemporaneidade. 2010. Recuperado de < http://www.pergamum.univale.br/pergamum/tcc/Astransformacoesdopapeldamulhernacontemporaneidade.pdf> Acessado em Junho de 2016.

ESPÍNDOLA, G. A trajetória do poder da mulher: do lar ao mercado e trabalho. Curso de especialização em gestão de equipes, 2013.

FABRO, M. R. C.; HELOANI, J. R. M. Mulher, Maternidade e Trabalho Acadêmico. 2010. Tese de doutorado em Educação apresentado a Universidade Estadual de Campinas. São Paulo: 2010.

FRANÇA, A. L; SCHIMANSKI, É. Mulher, trabalho e família.: Uma análise sobre a dupla jornada feminina e seus reflexos no âmbito familiar. Emancipação, v. 9, n. 1, p. 65-78, 2009.

GARCIA, L. S; CONFORTO, E. A inserção feminina no mercado de trabalho urbano brasileiro e renda familiar. Saúde em Debate, v. 36, n. 95, p. 523-532, 2012.

GATTI, B. et al. A atratividade da carreira docente no Brasil. Fundação Victor Civita, 2014.

GOLAFSHANI, N. Understanding reliability and validity in qualitative research. The Qualitative Report, v.8, n.4, p.597-606. 2003.

GONÇALVES, A.C.A. As dificuldades na relação entre pais e filhos. Universidade Candido Mendes. Rio de Janeiro, 2004.

GUIMARÃES, F. A. L. Realização profissional, prazer e sofrimento no trabalho e valores: um estudo com profissionais de nível superior. 2005. Dissertação de Mestrado apresentado a Faculdade de Psicologia da Universidade Federal de Uberlândia, 2005.

HIRATA, H.; KERGOAT, D. Novas Configurações da Divisão Sexual do Trabalho. Cadernos de Pesquisa, v. 37, n.132, p.595-609, set./dez.2007.

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios. 2015. Recuperado de < https://ww2.ibge.gov.br>. Acessado em junho de 2016.

LAGES, S. R. C.; DETONI, C.; SARMENTO, S. C. O preço da emancipação feminina: uma reflexão sobre o estresse gerado pela dupla jornada de trabalho. Estação Científica, Juiz de Fora, v. 1, 2005.

LEONE, E. T; BALTAR, P. Diferenças de rendimento do trabalho de homens e mulheres com educação superior nas metrópoles. Revista Brasileira de Estudos de população, 2006.

LOUREIRO, C. M. P.; COSTA, I. S. A.; FREITAS, J. A. S. B. Trajetórias profissionais de mulheres executivas: qual o preço do sucesso? Revista de Ciências da Administração, v. 14, n. 33, p. 130-144, 2012.

MELO, N. C. V. de et al. Consumo por idosos nos arranjos familiares: uma análise por regiões do país, a partir de dados da POF (2008/2009). Revista Brasileira de Geriatria e Gerontologia, v. 17, n. 4, p.841-852, 2014.

MIRANDA, L. C. A percepção da mulher no mercado de trabalho: emprego, carreira ou vocação. Rio de Janeiro: Faculdades Ibmec, 2006.

MORAES, L.L. Maternidade: o sonho de toda mulher? Congresso Ibero-americano de Ciência, Tecnologia e Gênero, Rio de Janeiro, 7, Anais..., Rio de Janeiro, 2010.

MOSCHKOVICH, M; ALMEIDA, A. M. F. Desigualdades de gênero na carreira acadêmica no Brasil. Dados, v. 58, n. 3, p. 749-789, 2015.

OLIVEIRA, M.; FREITAS, H. Focus group: instrumentalizando o seu planejamento. Pesquisa qualitativa em estudos organizacionais: paradigmas, estratégias e métodos. São Paulo: Saraiva, 325-346. 2006.

OLLAIK, L. G.; ZILLER, H. M. Concepções de validade em pesquisas qualitativas. Educação e Pesquisa, v.38, n.1, p.229-241. 2012.

PEDRO, C. B.; GUEDES, O. S. As conquistas do movimento feminista como expressão do protagonismo social das mulheres. Simpósio sobre estudos de gênero e Políticas Públicas, Londrina, 1, Anais..., Londrina, 2010.

PROBST, E. R; RAMOS, P. A evolução da mulher no mercado de trabalho. Santa Catarina: Instituto Catarinense de Pós-Graduação, p. 1-8, 2003.

RICHARDSON, R. J. Pesquisa social: métodos e técnicas. São Paulo: Atlas. 1989.

SANTOS, M. M. L.; ROCHA-COUTINHO, M. L. Mulheres na Força Aérea Brasileira: um Estudo Sobre as Primeiras Oficiais aviadoras. Estud. psicol., v. 15, n. 3, p. 259-267, dezembro de 2010.

SCAVONE, L. Maternidade: transformações na família e nas relações de gênero. Revista Interface, Botucatu, v.5, n.8, p.47-69, 2001.

SMEHA, L, N. CALVANO, L. O que completa uma mulher? um estudo sobre a relação entre não - maternidade e vida profissional. Psicologia Argumento, Curitiba, v. 27. 2009.

TARUNE, B.; CARVALHO NETO, A.; ANDRADE, J. O. Executivas: carreira, maternidade, amores e preconceitos. RAE-eletrônica, v. 9, n. 1, Art. 3, jan./jun. 2010.

TEIXEIRA, E. T. N. Adiamento da maternidade: ser mãe depois dos 35 anos. 1999. Tese de Doutorado apresentado a Escola Nacional de Saúde Pública, Rio de Janeiro, 1999.

TIBA, I. Disciplina: O limite na medida certa. São Paulo: Gomes, 1996.

VANALLI, A. C G; BARHAM, E. J. Após a licença maternidade: a percepção de professoras sobre a divisão das demandas familiares. Psicologia & Sociedade, v. 24, n. 1, p. 130-138, 2012.

WEBER, L.N.D; SANTOS. C.S.D; BECKER.C; SANTOS.T.P. Filhos em creches no século XXI e os sentimentos das mães. Psicologia Argumento, v. 24, n. 44 p. 45-54, jan./mar. Curitiba, 2006.

WU, J.; LI, Y; ZHANG, D. Identifying women’s entrepreneurial barriers and empowering female entrepreneurship worldwide: a fuzzy-set QCA approach. International Entrepreneurship and Management Journal, 1-24. 2019.

YIN, R. K. Estudo de Caso: Planejamento e Métodos.
Publicado
2019-10-29
Como Citar
Silva, M. A., Pereira, M. M. O., Antunes, L. G. R., Silva, F. D., & Cristina Ferreira Castelari, M. (2019). Conciliando maternidade e carreira profissional:. Revista Vianna Sapiens, 10(2), 27. https://doi.org/10.31994/rvs.v10i2.586