Dificuldades percebidas por boundary spanners em relações interorganizacionais

um estudo de caso

Palavras-chave: Relações Interorganizacionais. Cooperação. Boundary Spanners.

Resumo

O objetivo desta pesquisa é identificar dificuldades presentes em relações de cooperação, na percepção dos boundary spanners, considerando diferentes níveis de cooperação em relações interorganizacionais. Assim, optou-se por uma pesquisa descritiva, com abordagem qualitativa que consistem em um estudo de caso. Foram realizadas entrevistas semiestruturadas com boundary spanners de uma organização compradora e quatro dos seus principais fornecedores. Os dados coletados foram então submetidos à análise de conteúdo. Os resultados indicam que as relações de cooperação entre essas organizações apresentam altos níveis de cooperação, caracterizada por confiança. Os boundary spanners não percebem grandes dificuldades além da não predominância de contratos formalizados. Os resultados desta pesquisa contribuem empiricamente ao fornecer elementos observados nas relações analisadas para que organizações compreendam melhor esses aspectos e mitiguem dificuldades oriundas das relações de cooperação. Como contribuição teórica, são evidenciados elementos presentes em relações de cooperação que merecem investigações em outros ambientes e mais amplos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ALMEIDA, Karla Katiuscia Nóbrega; CALLADO, Antônio André Cunha. Contabilidade e controles gerenciais interorganizacionais: um ensaio teórico sob a perspectiva da economia dos custos de transação. RIC, v. 11, n. 3, p. 13, 2017.

BALESTRO, Moisés Villamil et al. A experiência da Rede PETRO-RS: uma Estratégia para o Desenvolvimento das Capacidades Dinâmicas. Revista de Administração Contemporânea, v. 8, n. SPE, p. 181-202, 2004.

CAGLIO, Ariela; DITILLO, Angelo. Opening the black box of management accounting information exchanges in buyer–supplier relationships. Management Accounting Research, v. 23, n. 2, p. 61-78, 2012.


CERVO, A. L., & BERVIAN, P. A. Metodologia científica (5.ed.). São Paulo: Prentice Hall, 2002.

CUNHA, C. R. Padrão de relacionamento interorganizacional: estudo de caso do consórcio de transporte Centroleste. Encontro de administração pública e governança, v. 1, 2004.


FARIAS, Rafael Araújo Sousa; GASPARETTO, Valdirene. Gestão de custos interorganizacionais: um estudo bibliométrico. Sociedade, Contabilidade e Gestão, v. 10, n. 3, 2016.

FISCHER, Christian. Trust and communication in European agri‐food chains. Supply Chain Management: An International Journal, 2013.

FLEMING, L. & WAGUESPACK, D.M. Corretagem, abrangência de limites e liderança em comunidades abertas de inovação. Ciência da organização, 18 (2), 165-180, 2007.
GIL, A. C. Método da história (2ª.ed.). São Paulo: Atlas, 2008.
HALLEY, Alexis A. Applications of boundary theory to organizational and interorganizational culture. Public Administration and Public Policy, v. 90, p. 135-147, 2001.
HORONGOSO, Fabiane et al. Condições competitivas do setor de prestação de serviços de informática na região da grande Florianópolis. Trabalho de Conclusão de Curso. 2008.

KOCH, A. M. & GASPARETTO, V. Informações contábeis e o relacionamento fornecedor-comprador entre produtores de hortifrútis e uma rede de supermercados. Anais do Congresso XIII ANPCONT, São Paulo, SP, Brasil, 2019.

LARENTIS, Fabiano; ANTONELLO, Claudia Simone; SLONGO, Luiz Antonio. Cultura organizacional e marketing de relacionamento: uma perspectiva interorganizacional. Revista Brasileira de Gestão de Negócios, v. 20, n. 1, p. 37-56, 2018.

LAVILLE, C., & DIONNE, J. (1999). A construção do saber. Belo Horizonte: UFMG, 340, 1990.

LEITE, J. P. D. A. (2014). A Coordenação Interorganizacional nas Redes de Implementação de Políticas: Elementos para um Referencial Analítico. Trabalho de Conclusão de Curso. 2014.

MACHADO, Augusto Cesar Marins. Relações interorganizacionais em organizações de Terceiro Setor: reflexões teóricas. Revista Eletrônica de Ciência Administrativa, v. 6, n. 1, p. 1-10, 2007.

MANOSSO, Thayane Woellner Sviercoski; ANTONI, Verner Luis. Da congruência de valor entre boundary spanners à satisfação em mercados B2B: uma perspectiva teórica. Revista Alcance, v. 25, n. 2, 2018.

OLIVEIRA, Felipe Pagiola; ZANQUETTO FILHO, Helio. Gestão do relacionamento comprador-fornecedor em ambientes com contratos estruturados: o caso de uma grande multinacional. REGE-Revista de Gestão, v. 18, n. 4, p. 659-673, 2011.

PATTON, Michael Quinn. Qualitative research & evaluation methods: Integrating theory and practice. Sage publications, 2014.

SILVA, A.; ARBAGE, Alessandro Porporatti; BREITENBACH, Raquel. Relacionamento entre Redes de Varejo e Setor Produtivo de Perecíveis na Região Central do Rio Grande do Sul: Uma Análise a Partir da Gestão da Cadeia de Suprimentos. In: Anais do Congresso SOBER-Sociedade Brasileira de Economia, Administração e Sociologia Rural. 2010.

SOUSA, Darcon et al. Relações interorganizacionais no Setor Industrial de confecções da Região Metropolitana de Campina Grande-PB: um estudo exploratório. Trabalho de Conclusão de Curso. 2002.

TACCONI, Marli de Fátima Ferraz da Silva et al. A confiança interorganizacional nas compras. Gestão & Produção, v. 21, n. 1, p. 199-214, 2014.

VENSON, Aline Botelho Schneider et al. Relacionamentos interorganizacionais e desempenho: uma aplicação prática na rede da construção civil no Balneário Açores. Revista de Administração FACES Journal, v. 10, n. 1, p. 115-136, 2011.

WEICK, Karl E.; SUTCLIFFE, Kathleen M. Managing the Unexpected: Assuring High Performance in an Age of Complexity, published by JosseyBass, a John Wiley & Sons. Inc. Company, 2001.

WILLIAMS, Paul. The competent boundary spanner. Public administration, v. 80, n. 1, p. 103-124, 2002.

WILLIAMSON, Oliver E. Transaction-cost economics: the governance of contractual relations. The journal of Law and Economics, v. 22, n. 2, p. 233-261, 1979.
Publicado
2021-02-23
Como Citar
Lúcia Lohn, T., & Fagundes, E. (2021). Dificuldades percebidas por boundary spanners em relações interorganizacionais: um estudo de caso. Revista Vianna Sapiens, 12(1), 19. https://doi.org/10.31994/rvs.v12i1.736