QUALIDADE E ECONOMICIDADE À LUZ DA TEORIA DOS CUSTOS DE TRANSAÇÃO

UM ESTUDO DE CASO DOS PROCESSOS LICITATÓRIOS DE UM MUNICÍPIO DO RIO GRANDE DO NORTE

  • Antonio Gil da Costa Júnior
  • Carlos Eduardo de Mira Costa
Palavras-chave: GESTÃO PÚBLICA, LICITAÇÃO., TEORIA DOS CUSTOS DE TRANSAÇÃO., ECONOMICIDADE., QUALIDADE.

Resumo

O presente trabalho busca verificar a qualidade e economicidade nos processos licitatórios de um município da mesorregião Oeste Potiguar, sob o aspecto da teoria dos custos de transação. Sabendo-se que a licitação pública é o meio obrigatório e necessário para que se possa alcançar a proposta mais vantajosa para a Administração Pública quando de sua necessidade em adquirir bens e serviços, verifica-se que muitas vezes a qualidade desses serviços ou dos produtos adquiridos não é satisfatória, bem como não se atinge a economicidade desejada. Os fatores que levam a isto, de acordo com a teoria dos custos de transação, são a presença da racionalidade limitada e do oportunismo nas relações das organizações. Na prática, verifica-se que devido às inconsistências presentes nos editais licitatórios, somado ao oportunismo dos licitantes, o município pesquisado possui certa dificuldade em conseguir atender a qualidade de conformidade desejada para suas obras de engenharia.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Antonio Gil da Costa Júnior

Professor de Administração. Doutorando em Administração pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte. Mestre em Engenharia de Produção e Bacharel em Administração pela Universidade Federal de Itajubá.

Carlos Eduardo de Mira Costa

Professor de Ciências Ambientais. Mestrando em Meio Ambiente e Recursos Hídricos pela Universidade Federal de Itajubá. Bacharel em Administração e Direito pelo Centro de Ensino Superior em Gestão, Tecnologia e Educação.

Publicado
2017-10-10
Como Citar
Júnior, A. G. da C., & Costa, C. E. de M. (2017). QUALIDADE E ECONOMICIDADE À LUZ DA TEORIA DOS CUSTOS DE TRANSAÇÃO: UM ESTUDO DE CASO DOS PROCESSOS LICITATÓRIOS DE UM MUNICÍPIO DO RIO GRANDE DO NORTE. Revista Vianna Sapiens, 4(2), 25. Recuperado de https://viannasapiens.com.br/revista/article/view/96