O O DESEJO PELO NOVO:

REFLEXÕES LEGAIS SOBRE PÓS-CONSUMO E OBSOLESCÊNCIA PROGRAMADA DE ELETRÔNICOS

Palavras-chave: Logística Reversa, Obsolescência Programada, Pós-consumo, Responsabilidade Solidária

Resumo

Este artigo analisa o contexto legal do pós-consumo de produtos eletrônicos no Brasil. Considerando a existência da obsolescência planejada no mercado eletrônico, a principal questão de pesquisa investiga se a responsabilização do consumidor revela-se como uma ferramenta elementar para lidar com o descarte impróprio destes produtos. As quatro modalidades de intervenção no comportamento humano, estabelecidas por Lessig e a técnica de pesquisa por traços de significação de Babbie compõem o quadro teórico e metodológico da pesquisa. A principal conclusão é a de que as ferramentas legais elaboradas para lidar com o pós-consumo no Brasil sofrem da ausência de reforço por parte de iniciativas sociais, mercadológicas e de arquitetura presentes na sociedade de consumo.

Biografia do Autor

Lorena Abbas da Silva, Universidade Federal de Juiz de Fora / Mestranda em Direito

Graduada em Direito (2017) e Mestranda em Direito e Inovação pela Universidade Federal de Juiz de Fora.

 

 

Referências

BABBIE, Earl. The Practice of Social Research. Eleventh Edition. Belmont: Thomson Wadsworth, 2007.

BALDÉ, C.P. FORTI V. GRAY, V. KUEHR, R. STEGMANN, P. The Global E-waste Monitor – 2017, United Nations University (UNU), International Telecommunication Union (ITU) & International Solid Waste Association (ISWA), Bonn/Geneva/Vienna. ISBN: 978-92-808-9054-9. Disponível em: . Acesso em: 25 abril 2018.

BODIN DE MORAES, Maria Celina. Risco, Solidariedade e Responsabilidade Objetiva. Revista dos Tribunais, ano 95, vol. 854, dez. 2006. Disponível em: . Acesso em: 20 mar. 2018.

BRASIL (1990). Lei nº 8.078, de 11 de setembro de 1990. Dispõe sobre a proteção do consumidor e dá outras providências. Disponível em: . Acesso em: 28 abril 2018.

______(1997). Decreto nº 2.181, de 20 de março de 1997. Dispõe sobre a organização do Sistema Nacional de Defesa do Consumidor - SNDC, estabelece as normas gerais de aplicação das sanções administrativas previstas na Lei nº 8.078, de 11 de setembro de 1990, revoga o Decreto Nº 861, de 9 julho de 1993, e dá outras providências. Disponível em: . Acesso em: 19 abril 2018.

______ (1998). Constituição da República Federativa do Brasil de 1988. Disponível em: . Acesso em: 28 mar. 2018.

______(2002). Lei nº 10.406 de 10 de janeiro de 2002. Institui o Código Civil. Disponível em: . Acesso em: 15 mar. 2018.

______(2010a). Lei nº 12.305 de 2 de agosto de 2010. Institui a Política Nacional de Resíduos Sólidos; altera a Lei nº 9.605, de 12 de fevereiro de 1998; e dá outras providências. Disponível em:. Acesso em: 15 mar. 2018.

______(2010b). Decreto nº 7.404, de 23 de dezembro de 2010. Regulametna a Lei nº 12.305, de 2 de agosto de 2010, que institui a Política Nacional de Resíduos Sólidos, cria o Comitê Interministerial da Polótica Nacional de Resíduos Sólidos e o Comitê Orientador para a Implantação dos Sistemas de Logística Reversa, e dá outras providências. Disponível em: . Acesso em:29 abril 2018.

______(2012). Superior Tribunal de Justiça. Recurso Especial 984.106-SC. Min. Rel. Luis Felipe Salomão, 04 de out. 2012. Disponível em: . Acesso em: 25 abril 2018.

______(2013). VI Jornada de Direito Civil. Coordenador científico Ministro Ruy Rosado de Aguiar Júnior. – Brasília: Conselho da Justiça Federal, Centro de Estudos Judiciários, 2013. Disponível em: . Acesso em: 20 abr. 2018.

CASA, Gabriela Mesa. ZANINI, Cristiane. VASCONCELLOS, Rodrigo da Costa. Os Princípios do Poluidor Pagador e do Usuário Pagador Aplicados à Inovação Tecnológica. Revista Eletrônica do Curso de Direito da UFSM, vol. 08, 2013.DOI: . Acesso em: 05 abril 2018.

COASE, Ronald H. The Problem of Social Cost. Chicago: The University of Chicago Press, Journal of Law and Economics, Vol. 3 (Oct. 1960), p. 02. Disponível em: . Acesso em 27 abril 2018.

DANNORITZER, Cosima. The light bulb conspiracy. Título original: Prêt à Jeter. Arte France, 85 minutos, nov. 2010. Disponível em: . Acesso em: 02 abril 2018.

ECHEGARAY, Fabián. Consumers' reactions to product obsolescence in emerging markets: the case of Brazil. Journal of Cleaner Production, 2015, vol. XX, pp. 01-13. DOI: . Acesso em: 30 mar. 2018.

GONÇALVES, Jéssica. Análise Econômica dos Princípios Ambientais do Poluidor Pagador e Usuário Pagador. REVISTA DA ESMESC, v. 21, n. 27, 2014. DOI: . Acesso em: 27 mar. 2018.

KAPP, Karl William. The Social Costs of Private Enterprise. Nottingham: Spokesman. 3a ed., 1978. 374 p. ISBN: 0 85124 637 0. Disponível em: Acesso em: 25 out. 2016.

LESSIG, Lawrence. Code (version 2.0). Nova Iorque: Basic Books, 2006. 411p. ISBN-10: 0–465–03914–6. ISBN-13: 978–0–465–03914–2. Disponível em: . Acesso em: 20 ago. 2013.

MAGALINI, Federico. KUEHR, Ruediger. BALDÉ, Cornelis Peter. eWaste in Latin America: Statistical analysis and policy recommendations. Programme OfficerGSMA e Instituto de Estudos Avançados em Sustentabilidade das Nações Unidas, nov. 2015. Disponível em: . Acesso em: 29 mar. 2018.

MAITRE-EKERN, Eléonore. DALHAMMAR, Carl. Regulating Planned Obsolescence: a Review of Legal Approaches to Increase Product Durability and Reparability in Europe. Review of European, Comparative & International Environmental Law, vol. 25, nº 03, 2016. DOI: . Acesso em: 03 abril 2018.

MIRAGEM, Bruno. Consumo Sustentável e Desenvolvimento: por uma Agenda Comum do Direito do Consumidor e do Direito Ambiental. Revista do Ministério Público do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, nº 74, 2013, pp. 229-244. Disponível em: . Acesso em: 14 jul. 2018.

MOREIRA, Danielle de Andrade. Responsabilidade ambiental pós-consumo à luz do Código de Defesa do Consumidor: possibilidades e limitações. Civilistica.com, vol. 04, nº 02, 2015. Disponível em: . Acesso em: 20 mar. 2018.

OBSERVATÓRIO DA INTERNET NO BRASIL. A Explosão dos Dados: Mídia, Big Data e Internet das Coisas. 17 de julho de 2016. Disponível em: . Acesso em: 20 abril 2018.

PINEDA, Jesús A. Soto. SALMORAL, María Prada. A Juridical 'Theory' of Planned Obsolescence. Social Science Research Network, maio 2017. DOI: . Acesso em: 02 abril 2018.

RABELO, Cristina Alves. A responsabilidade civil ambiental pós-consumo na destinação de resíduos sólidos. Revista de Direito Univille, vol. 02, nº 02, 2012, pp. 68-78. Disponível em: . Acesso em: 16 jul. 2018.

SANTOS, Maria Carolina de Melo. A Responsabilidade Compartilhada na Política Nacional de Resíduos Sólidos: uma Análise da Eficácia das Disposições Relativas ao Consumidor. Revista Direito Ambiental e Sociedade, vol. 05, nº 01, 2015. Disponível em: . Acesso em: 03 abril 2018.

SILVA, Maria Beatriz Oliveira da. MOTA, Luiza Rosso. E-lixo: a Responsabilidade Pós-consumo do Produtor pela Logística Reversa dos Resíduos Eletroeletrônicos no Brasil. 2º Congresso Internacional de Direito e Contemporaneidade, Universidade Federal de Santa Maria, 2013. Disponível em: . Acesso em: 20 mar. 2018.

VARÃO, Lorena L. M. REGO, Natasha K. S. A Responsabilidade Ambiental Pós-consumo à Luz do Código de Defesa do Consumidor à Partir da Política Nacional dos Resíduos Sólidos. XXV Congresso do Conpedi, Direito e Sustentabilidade I. Florianópolis: CONPEDI, 2016, pp. 05-22. Disponível em: . Acesso em: 13 jul. 2018.

VIEIRA, Eriton. SILVA, Fábio Márcio Piló. Responsabilidade civil por dano ambiental: discussões acerca das teorias do Risco Criado e do Risco Integral. Revista Fórum de Dir. Urbano e Ambiental – FDUA, Belo Horizonte, ano 13, n. 78, p. 30-37, nov/dez. 2014. Disponível em:
. Acesso em: 24 maio 2018.

ZALLIO, Matteo. BERRY, Damon. Design and Planned Obsolescence: Theories and Approaches for Designing Enabling Technologies. The Design Journal, vol. 20, nº 01, 2017, pp. 3.749-3.761 DOI: <10.1080/14606925.2017.1352879>. Acesso em: 05 maio 2018.
Publicado
2018-08-10
Como Citar
Oliveira, J., & da Silva, L. (2018). O O DESEJO PELO NOVO:. Revista Vianna Sapiens, 9(1), 22. https://doi.org/10.31994/rvs.v9i1.329