A PERDA DA CHANCE DE VIVER:

ANÁLISE DA POSSIBILIDADE DE APLICAÇÃO DA TEORIA DA PERDA DE UMA CHANCE À PRÁTICA DA EUTANÁSIA

Palavras-chave: Eutanásia. Vida. Autonomia. Teoria da Perda de uma Chance.

Resumo

O objetivo primordial deste artigo é travar uma discussão entre a prática de formas de abreviar a vida, sobretudo a eutanásia, sob a ótica da perda da chance de viver. Este buscou investigar, com amparo nos princípios jurídicos, fundamentalmente com base no Princípio da Dignidade da Pessoa Humana, se alguma forma de abreviação da vida seria aceitável ou se essas práticas dariam ensejo a indenizações pela Perda de uma Chance (de viver). Diante disso, o artigo perquiriu também, pela Bioética e pelo Biodireito, o que deveria prevalecer diante da ponderação entre o Princípio da Autonomia e o Princípio da Sacralidade da Vida, concluindo pela tendência à autodeterminação do indivíduo mas de forma parcimoniosa e não de forma absoluta. Quanto à metodologia, trata-se de uma pesquisa bibliográfica.

Referências

ALEXY, Robert. Teoria dos Direitos Fundamentais. 2. ed. São Paulo: Malheiros, 2017. Tradução de: Virgílio Afonso da Silva.

ALEXY, Robert. Princípios Formais: e outros aspectos da Teoria Discursiva do Direito. Rio de Janeiro: Gen/forense Universitária, 2014. Organizadores: Alexandre Travessoni Gomes Trivisonno; Aziz Tuffi Saliba; Mônica Sette Lopes.

BARROSO, Luís Roberto. O Novo Direito Constitucional Brasileiro: Contribuições para a construção teórica e prática da jurisdição constitucional no Brasil. Belo Horizonte: Fórum, 2014(a).


BARROSO, Luís Roberto. Curso de Direito Constitucional Contemporâneo: os conceitos fundamentais e a construção do novo modelo. 4. ed. São Paulo: Saraiva, 2014(b).

BARROSO, Luís Roberto; MARTEL, Letícia de Campos Velho. Bioética e Direitos Fundamentais: A morte como ela é: dignidade e autonomia individual no final da vida. São Paulo: Saraiva, 2014(c). Organizadores: Débora Gozzo e Wilson Ricardo Ligiera.

BEAUCHAMP, Tom L.; CHILDRESS, James F. Princípios de Ética Biomédica. São Paulo: Loyola, 2002. Tradução de: Luciana Pudenzi.

BECKER, Ernest. A Negação da Morte. São Paulo: Círculo do Livro, 19--?. 337 p. Tradução de: Otávio Alves Filho.

BRASIL. Constituição (1988). Constituição da República Federativa do Brasil. Brasília, DF: Senado Federal: Centro Gráfico, 1988.

BRASIL. Código Civil: Lei 10.406, de 10 de janeiro de 2002. 1a edição. São Paulo: Revista dos Tribunais, 2002.

BONAVIDES, Paulo. Curso de Direito Constitucional. 32. ed. São Paulo: Malheiros, 2017.

CABRAL, Arthur José; PERES, Leandro Dutra. Ortotanásia. In: CABRAL, Hildeliza Lacerda Tinoco Boechat (Coord.). Ortotanásia: bioética, biodireito, medicina e direitos de personalidade. Belo Horizonte: Del Rey, 2016. Apresentação de: Nelson Rosenvald.

DADALTO, Luciana. Testamento Vital. 3. ed. São Paulo: Atlas, 2015.

DINIZ, Maria Helena. O Estado atual do biodireito. 8 ed. 2011. São Paulo: Saraiva.

DWORKIN, Ronald. Domínio da Vida: Aborto, Eutanásia e Liberdades Individuais. 2. ed. São Paulo: Wmfmartinsfontes, 2016.

FREITAS, João Pedro Soares de. A antítese da Ortotanásia – O Excesso Terapêutico. In: CABRAL, Hildeliza Lacerda Tinoco Boechat (Coord.). Ortotanásia: bioética, biodireito, medicina e direitos de personalidade. Belo Horizonte: Del Rey, 2016. Apresentação de: Nelson Rosenvald.

HESSE, Konrad. A Força Normativa da Constituição. Porto Alegre: Sergio Antonio Fabris Editor, 1991. Tradução de: Gilmar Ferreira Mendes.

KELSEN, Hans. Teoria Pura do Direito. São Paulo: Martins Fontes, 2016. Tradução de:João Batista Machado.

MALUF, Adriana Caldas do Rego Freitas Dabus. Curso de Bioética e Biodireito. 3ª. Ed. São Paulo: Gen/Atlas, 2015.

MARMELSTEIN, George. Curso de Direitos Fundamentais. 6. ed. São Paulo: Gen, 2016.

MARTEL, Letícia de Campos Velho. Direitos Fundamentais Indisponíveis: os limites e os padrões do consentimento para a autolimitação do direito fundamental à vida. 2010. 476 f. Tese (Doutorado) - Curso de Direito, Universidade do Estado do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2010.

NAMBA, Edson Tetsuzo. Manual de Bioética e Biodireito. 2. ed. São Paulo: Atlas, 2015.

TEIXEIRA, Ana Carolina Brochado; PENALVA, Luciana Datalto. Terminalidade e Autonomia: uma abordagem do Testamento Vital no Direito Brasileiro. In:
PEREIRA, Tânia da Silva; MENEZES, Rachel Aisengar; BARBOZA, Heloisa Helena (Coord.). Vida, Morte e Dignidade Humana. 1 ed. Rio de Janeiro: GZ, 2010.

PEREIRA, Tânia da Silva. O Direito à Plenitude da Vida e a Impossibilidade de uma Morte Digna. In: PEREIRA, Tânia da Silva; MENEZES, Rachel Aisengar; BARBOZA, Heloisa Helena (Coord.). Vida, Morte e Dignidade Humana. 1 ed. Rio de Janeiro: GZ, 2010.

PONA, Éverton Willian. Testamento Vital e Autonomia Privada: Fundamentos das Diretivas Antecipadas de Vontade. Curitiba: Juruá, 2015.

RINALDI, Talita Jaroskievicz; CONSALTER, Zilda Mara. O erro de diagnóstico médico e a teoria da perda de uma chance: linhas sobre a questão indenitária. Disponível em: . Acesso em: 01.out.2015.

ROSÁRIO, Grácia Cristina Moreira. A perda da chance de cura na responsabilidade civil médica. Rio de Janeiro: Lumen Juris, 2009.

ROSÁRIO, Grácia Cristina Moreira do. A Perda da Chance de Cura na Responsabilidade Médica. Revista da Emerj. Rio de Janeiro, v. 11, n. 43, p.167-186, 2008. Disponível em: . Acesso em: 05 maio 2018.

ROSENVALD, Nelson. Curso de direito civil: parte geral e Lindb. 13 ed. 2015. São Paulo: Atlas. v. 1.

SÁ, Maria de Fátima Freire de; MOREIRA, Diogo Luna. Autonomia Para Morrer: Eutanásia, suicídio assistido e diretivas antecipadas de vontade. Belo Horizonte: del Rey, 2012.

SAVI, Sérgio. Responsabilidade civil por perda de uma chance. 2 ed. São Paulo: Atlas, 2009.

SARLET, Ingo Wolfgang. Dignidade da pessoa humana e direitos fundamentais. 9 ed. Porto Alegre: Livraria do Advogado, 2012.

SARMENTO, Daniel. Dignidade da Pessoa Humana: Conteúdo, Trajetórias e Metodologia. 2. ed. Belo Horizonte: Fórum, 2016.

SILVA, José Maria da; SILVEIRA, Emerson Sena da. Apresentação de Trabalhos Acadêmicos: normas e técnicas. 4. ed. Petrópolis: Vozes, 2007.

TUBBS, Jr.; WASHINGTON, James B. A Handbook of Bioethics Terms. Washington: Georgetown University Press, 2009.
Publicado
2018-08-10
Como Citar
Nascimento, I. (2018). A PERDA DA CHANCE DE VIVER:. Revista Vianna Sapiens, 9(1), 22. https://doi.org/10.31994/rvs.v9i1.355