GOVERNANÇA CORPORATIVA NA EMPRESA FAMILIAR:

UMA CONCILIAÇÃO POSSÍVEL?

Palavras-chave: Governança corporativa; Empresa familiar; Sucessão

Resumo

A governança corporativa deve ser uma prioridade para as empresas, pois gera valor para seus acionistas. Este artigo qualitativo investigou a aplicação da governança corporativa em empresa familiar de primeira geração, examinando-se quais princípios de governança do IBGC estão sendo aplicados ou em processo de implantação. Os temas das entrevistas semiestruturadas foram governança na empresa, relações corporativas e assuntos relacionados ao contrato social, normas administrativas, código de ética e planejamento estratégico. O resultado indicou as prioridades de governança e a necessidade de uma reformulação do acordo de acionistas para conter princípios que ajudarão na sustentabilidade e na longevidade da empresa.

Referências

ALDERSON, K. Understanding the Family Business. San Diego: Business Expert Press, 2010

ARREGLE, J-L.; DURAN, P.; HITT, M.; ESSEN, M. Why Is Family Firms' Internationalization Unique? A Meta‐Analysis. Entrepeneurship Theory and Practice, v. 40, n. 6, p. 1209-1231, 2016

BARDIN, L. Análise de Conteúdo. São Paulo: Edições 70, 1977.

BERLE, A.; MEANS, G. The Modern Corporation and Private Property. Nova York: Harcourt, Brace, & World, 1932.

BM&F Bovespa (Bolsa de Mercadoria e Futuro Bovespa). Governança Corporativa. Disponível em . Acesso em 13 nov 2013

CADBURY COMMITTEE. The Financial Aspects of Corporate Governance. 1992. Disponível em http://www.ecgi.org/codes/documents/cadbury.pdf. Acesso em 13 nov 2013

CAMPOS, M. Governança Corporativa: aplicabilidade na empresa familiar. Dissertação de mestrado (Administração de Empresas), Universidade Federal da Bahia / Núcleo de Pós-Graduação em Administração, 2006.

CLARKE, T. The continuing diversity of corporate governance: theories of convergence and variety. Ephemera, v. 16, n. 1, p.19–52, 2016

DASPIT, J.; CHRISMAN, J.; SHARMA, P.; PEARSON, A.; LONG, R.. A Strategic Management Perspective of the Family Firm: Past Trends, New Insights, and Future Directions. Journal of Managerial Issues, v. 29, n. 1, p. 6-29, 2017.

DINO. Elevada carga tributária para empresas bloqueia crescimento da economia brasileira. Revista Exame on line, 2 de junho de 2016. Disponível em https://exame.abril.com.br/negocios/dino/elevada-carga-tributaria-para-empresas-bloqueia-crescimento-da-economia-brasileira-dino89096487131/ Acesso em 23 jun 2018

DRUCKER, P. How to Save the Family Business. 1994. Disponível em http://www.umass.edu/fambiz/articles/senior_generation/how_to_save.html. Acesso em 13 nov 2013

FUNCEF (Fundação dos Economiários Federais). Manual de Governança Corporativa da Funcef. 2005. Disponível em . Acesso em 11 out 2013.

GARCIA, V. P. Desenvolvimento das famílias empresárias. Rio de Janeiro: Qualitymark, 2001.

GARCIA, R.; TAVARES, C. Empresa familiar e a governança corporativa: breves apontamentos sobre as estruturas de gestão das empresas familiares. REPATS, v. 4, n. 1, p. 481-516, 2017

G.LAB. Os benefícios da gestão transparente. Jornal Valor on line, 08 dez 2017 Disponível em http://www.valor.com.br/patrocinado/petrobras/gestao-e-negocios/os-beneficios-da-gestao-transparente. Acesso em 23 jun 2018

GOVERNO DA AUSTRÁLIA. Small Business NSW Commissioner. Disponível em . Acesso em 13 nov 2013

HABBASH, M. The effectiveness of corporate governance and external audition contraining earnings management practive in the UK. Durham theses, Durham University. 2010. Disponível em < http://etheses.dur.ac.uk/448/>. Acesso em 13 nov 2013

IBGC (Instituto Brasileiro de Governança Corporativa). Governança Corporativa. Disponível em . Acesso em 13 nov 2013

IBGC (Instituto Brasileiro de Governança Corporativa). IBGC lança livro no 12º Congresso Internacional de Governança Corporativa. 2011. Disponível em . Acesso em 13 nov 2013

IBGC (Instituto Brasileiro de Governança Corporativa). Código das melhores práticas de governança corporativa. 4ª ed., 2009. Disponível em . Acesso em 13 nov 2013

IBGC (Instituto Brasileiro de Governança Corporativa). Casos de empresas familiares não-listadas: experiências na aplicação de práticas de Governança. São Paulo, SP: IBGC 2011.

JENSEN, M.; MECKLING, W. Theory of the firm: Managerial behavior, agency costs and ownership structure. Journal of Financial Economics, v. 3, n. 4, p. 305–360, 1976.

KIGNEL, L. Mesa Corporate Governance. Estudo Especial. Empresas Familiares. 2009. Acordo de Sócios. Disponível em . Acesso em 13 nov 2013

LODI, J. A empresa familiar. Sao Paulo: Pioneira, 1993.

MALLIN, C.; OW-YONG, K. Corporate Governance in Small Companies: The Alternative Investment Market. Edinburgh: The Institute of Chartered Accountants of Scotland, 2008.

McGEE, R.; YUAN, X. Corporate governance and the timeliness of financial reporting: a comparative study of the People's Republic of China, the USA and the European Union". Journal of Asia Business Studies, v. 6, n. 1, p.5-16, 2012

MECKLING, W.; JENSEN, M Theory of the firm: Managerial behavior, agency costs and ownership structure. In: Journal of Financial Economics. RePEc:eee:jfinec:v:3:y:1976:i:4:p:305-360.

MESA CORPORATE GOVERNANCE. Estudo especial – empresas familiares: Acordo de sócios. São Paulo, SP. 2009.

MIZMOTO, F. Empresas Familiares e a Contribuição da Governança Corporativa. Palestra proferida na Endeavor Brasil. Disponível em . Acesso em 2013

MONKS, R.; MINOW, N. Corporate Governance. West Sussex: Blackwell Business, 1995.

MUS S I , F. B . ; R I VANDA , M. T.; MASSUKADO, M. S. A. Empresa familiar e a sucessão na interpretação do herdeiro. Anais... Encontro de Estudos Organizacionais – ENEO, 5, Belo Horizonte (MG), 2008.

OCDE (Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico). Principles of corporate governance. 1999. Disponível em www.oecd.org. Acesso em 13 nov 2013

OLIVEIRA, A. C. Empresa Familiar - Sua Importância Economica e Social. Disponível em esamcuberlandia.com.br/revistaidea/index.php/idea/article /download/163/129. Acesso em 23 jun 2018

OLIVEIRA, J.; PINHEIRO, A.; ÁLVARES, E.; PIMENTEL, T. Governança Corporativa como elemento mediador na empresa familiar. R. Adm. FACES Journal, v. 11, n. 3, p. 105-122, 2011.

OLIVETTE, C. Empresas adotam gestão transparente. Estadão on line, 20 de março de 2016. Disponível em https://economia.estadao.com.br/blogs/sua-oportunidade/empresas-adotam-gestao-transparente/. Acesso em 23 jun 2018

PAC-PME (Programa de Aceleração do Crescimento para Pequenas e Médias Empresas). Como melhorar a governança. 2012. Disponível em < http://www.pacpme.com.br/pacpme/web/conteudo_pti.asp?idioma=0&conta=45&tipo=44105>. Acesso em 13 nov 2013.

PEAKE, W.; COOPER, D.; FITZGERALD, M.; MUSKE, G. Family Business Participation in Community Social Responsibility: The Moderating Effect of Gender. Journal of Business Ethics, v. 142, n. 2, p. 325–343, 2017

PINA, A. Governança corporativa em empresas familiares de capital fechado: Estudo de caso da empresa Pinamak soluções em logística para o segmento de petróleo. Dissertação de mestrado (Administração de Empresas),Escola Brasileira de Administração Pública e de Empresas (EBAPE) da Fundação Getúlio Vargas, 77 p. 2011

POZA, E. Empresas Familiares. Ohio: South-Western/Cengage, 2010.

PWC (Price Waterhouse Coopers). As empresas familiares no Brasil. 2010. Disponível em . Acesso em 13 nov 2013

REVISTA VEJA. No Brasil, metade das empresas não chega ao terceiro ano. 2012. Disponível em http://veja.abril.com.br/noticia/economia/no-brasil-metade-das-empresas-nao-chega-ao-terceiro-ano#123. Acesso em 13 nov 2013

ROTH, L.; TISSOT, M.; GONÇALVES, R. Family-Owned Business Succession and Governance: A Multiple Case Study In Brazil. Revista de Ciências da Administração, v. 19, n. 48, p. 96-107, 2017

SPEDDING, L. Due Diligence and Corporate Governance. Oxford: Lexis Nexis, 2009.

STEINBERG, H. Mesa Corporate Governance. Estudo Especial. Empresas Familiares. 2009. Acordo de Sócios. Disponível em . Acesso em 13 nov 2013

STIFTUNG Familienunternehmen. Disponível em . Acesso em 13 nov 2013

TAGIURI, R.; DAVIS, J. Bivalent Attributes of the Family Firm., Working paper, Harvard Business School, Cambridge (MA), 1982.

TRICKER, B. Corporate Governance: Principles, Policies and Practices. Oxford: Oxford University Press, 2015.

VALE DO RIO DOCE. Modelo de Governança Corporativa. Disponível em . Acesso em 13 nov 2013

VASCOLCELOS, A.; OLIVEIRA, M.; FERNANDES, V. O Processo De Sucessão Em Diferentes Combinações De Gênero: Um Estudo Comparativo De Casos Em Empresas Familiares De Monte Carmelo, MG. RACE, v. 16, n. 1, p. 203-226, 2017

VILLALONGA, B.; AMIT, R. How do family ownership, control and management affect firm value? Philadelphia: Elsevier, 2005
Publicado
2018-08-10
Como Citar
Troccoli, I., & Lisboa, F. (2018). GOVERNANÇA CORPORATIVA NA EMPRESA FAMILIAR:. Revista Vianna Sapiens, 9(1), 32. https://doi.org/10.31994/rvs.v9i1.291